Em áudio, Marcell Moraes diz que não é “deputado pipoca” e afirma que votará contra reeleição na Assembleia

O deputado estadual Marcell Moraes (PSDB) enviou nesta semana um áudio exaltado para o grupo do Whatsapp dos parlamentares da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) se posicionando contra a ideia de reeleição da mesa diretora da Casa, incluindo presidência. Para os colegas, o defensor dos animais disse que não é “deputado pipoca”.

“Não tem o que tratar. Eu tô falando que sou contra a reeleição, que não sou pipoca. O nome disso é ‘deputado pipoca’, vota por conveniência. […] Muitos que estão nesse grupo aqui votaram a favor e outros, como Paulo Câmara (PSDB) e tantos outros não estavam presentes, não podem opinar”, disse, no áudio obtido pelo BNews.

Como o BNews revelou na segunda-feira (27), uma articulação discreta, mas acelerada, tenta viabilizar condição para derrubar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que impede a reeleição à presidência da AL-BA. Fontes internas revelaram à reportagem que a ideia do pequeno grupo que defende a tese e do próprio presidente Nelson Leal (PP) é tentar aprovar o texto ainda durante a pandemia do novo coronavírus, quando as atenções da imprensa e da sociedade estão majoritariamente dedicadas às questões de saúde.

A reeleição quebraria um acordo definido junto ao governador Rui Costa (PT), de que o próximo presidente da Casa seria o deputado estadual Adolfo Menezes (PSD). Na quarta-feira (29), Rui se reuniu com Leal e Menezes. “Vai ficar na mão do governador. O que o governador decidir, está decidido”, afirmou Adolfo Menezes ao BNews após o encontro, sinalizando que a presidência da AL-BA é item importante na engenharia dos partidos rumo a 2022.

Diferente de Marcell, seu colega de bancada Alan Sanches (DEM) se posicionou, em entrevista ao quadro Política Agora, do BNews, favorável à possibilidade de reeleição na AL-BA, sem abordar especificamente a situação de Nelson Leal.

“Eu sempre defenderei e defendi que fosse necessário e possível uma reeleição. Uma reeleição independentemente de mandato seria possível. Às vezes, você faz um trabalho bacana e quer dar continuidade, mas não foi possível. Foi drástico na época [quanda reeleição foi proibida, em 2017], porque Marcelo Nilo gostou tanto da cadeira que ficou 10 anos. Eu acho que poderia, sim, ter uma oportunidade de reeleição, mas não indefinidamente. Mesmo que seja reeleito deputado na próxima, não poderia”, disse.