Marcell Moraes defende assistência à saúde dos indígenas durante a pandemia

O deputado estadual  (PSDB) realizou uma live com o influenciador digital e ativista indígena, Tukumã Pataxó, nesta quarta-feira (24), para falar sobre o enfrentamento ao coronavírus na população indígena. De acordo com o convidado, atualmente no  vivem 896 mil índios, desse total, sete mil estão com diagnóstico positivo e 324 já foram vítimas fatais.

Questionado sobre a rotina da população em meio à pandemia, Tukumã lamentou a falta de assistência do governo. “Temos postos voltados para a atenção dos indígenas, mas nem todas as aldeias são contempladas com unidades. Em Cabrália, aqui na Bahia, por exemplo, são 10, no entanto, não há assistência para todas, são compartilhadas. As ‘barreiras sanitárias’ nós improvisamos para evitar que pessoas entrassem em nossa comunidade”.

No caso do acesso aos testes de detecção da Covid-19, o ativista disse que não há diferença como em todos os casos e cravou: “só pode fazer em casa urgência e com sintomas graves”. Tukumã destacou ainda a ancestralidade para o combate à doença através de  e orações características do povo indígena.

Marcell lamentou a realidade e afirmou que a sociedade precisa intervir e participar da . “Os índios são nosso patrimônio e herança temos que r. A população precisa participar, todos nós brasileiros e baianos devemos comprar essa briga para que haja atenção para os índios, sem nenhuma distinção. Quando vejo um presidente maluco querendo destruir aldeias, fico muito triste”. Ainda sobre o presidente Jair Bolsonaro, o deputado disparou que no governo atual a área ambiental não tem o que comemorar. “É nota zero para tudo que se diz sobre animais e natureza. Sou a favor do país, se Bolsonaro estiver certo, vou aplaudir e se estiver errado, vou vaiar”.

Durante o bate papo, Marcell relembrou a trajetória difícil para vencer os obstáculos da vida política e fez coro para o aumento de representantes indígenas nas esferas legislativas municipais, estaduais e federais no .